3.1 – DESAFIOS VIVIDOS NOS SETE PERÍODOS

1 – PRIMEIRO GRANDE DESAFIO

1995, iniciar uma caminhada cristã com apenas sete anos de idade. Percebe-se que neste período houve uma tomada de posição, talvez dos pais, mas a criança aceitou, pois passamos a assistir reuniões duas vezes por semana e ele sempre presente passou a ser conhecido de todos. Muito especial, parece que a criança vicentina tinha um certo carinho pelos mais velhos a quem dedicava parte de seu tempo com brincadeira respeitosa e com carinho especial de uma criança inocente.

2 – SEGUNDO GRANDE DESAFIO

Continuar na caminhada, muito criança e ser tesoureiro. Responsabilidade com o tesouro do Senhor e com os pobres.

3 – TERCEIRO GRANDE DESAFIO

ser presidente de um grupo e movimentar seus membros a crescerem na espiritualidade. Este desafio foi talvez o inicio de tudo, pois Antonio Brunno jamais esteve fora dos trabalhos vicentinos, deu a SSVP 15 anos de sua vida, onde houve uma comunhão e uma parceria, visto o crescimento do jovem na SSVP e o crescimento da SSVP com o jovem Brunno.

4 – QUARTO GRANDE DESAFIO

Ser dirigente de espiritualidade de uma forma diferente, modificando todos os outros meios já vivenciado por seu grupo. Para tanto o iluminado Antonio Brunno busca ajuda e recorre aos ensinamento bíblico, o que fez do jovem um leitor diário da palavra de Deus. Dedicado nos estudos bíblicos passa a viver uma vida diferenciada e acima de tudo nos molde daqueles que ele mais admirava. São Paulo e o papa João Paulo II. Isso fez do jovem uma pessoa realmente iluminada, pelo que falava, pensava e pelo projeto de vida que traçou a ele e sua família. E ainda pelo despreendimento das coisas materiais.

5 – QUINTO GRANDE DESAFIO

Antonio Brunno foi desafiado pela Ecafo, e com a ajuda dos pais revolucionou uma escola de ensinamento religioso voltada apenas para a SSVP. Criou então novas dinamicas como por exemplo na ECAFO ministrar estudo bíblico e outros temas como vida cristã, Jesus Cristo, Maria, Documentos da igreja, sacramentos e outros. Durante sua passagem pela ecafo, o que menos foi estudado foi a vida de Ozanan, pois ele dizia:

Sobre Ozanan todos nós sabemos muito, devemos aprender sobre nós e sobre a igreja de Jesus Cristo.”

Este desafio foi maravilhoso pois criou-se uma disputa entre conferencia e a escola que antes era coisa de adulto, passou a ser frequentada por todas as conferencia. Ouve alí um periodo de ouro da ecafo. Talvez nunca visto.

Foi neste período que vimos Antonio Brunno iniciar sua vida profissional, passou a crescer profissionalmente, foi aqui que o jovem enfrentou um grande desafio:

Crescer em todas as esferas, viver sua vida pessoal, familiar e traçar ainda projetos definidos e tudo isso sem que esfriassem o crescimento espiritual a vida de igreja.

6 – SEXTO GRANDE DESAFIO

manter-se na dignidade cristã apesar dos afazeres de sua vida particular fora da igreja, crescer como cristão e crescer como pessoa humana nos estudo e na sua vida profissional e tudo sem deixar-se influenciar com assuntos profissionais que viesse diminuir sua participaçao nos trabalhos da igreja. Neste periodo percebemos que ele teve um outro desafio: viver a vida que queria viver sem ser taxado de santinho e ou sem querer ser melhor que os outros. Assim, viveu na humildade e distribuindo amor e paz especialmente aos seus pobres. Tornar-se uma referencia sem querer ser referencia foi um grande desafio, mas nada dependia dele, era o que se via e o que estava acontecendo; seu amor pela igreja mesmo de forma humilde ( Sem querer aparecer) fez dele de fato uma grande referencia em nosso meio e o meio vicentino. Jovem bonito inteligente, com grandes projetos pessoais. Realizar um trabalho voltado a igreja sem misturar as coisas, teve lá seus encantos e seus desafios. Como consequencia deste crescimento e desta manutenção de valores, o jovem se lança a mais um desafio neste período: se torna um palhaço solitário e passa a visitar as crianças enfermas no hospital do câncer. Temos aí talvez o primeiro grande misterio envolvendo o iluminado Brunno: porque não escolheu escola infantil, jardim de infancia, hospital que não fosse de cancer… pergunta que fazemos sempre: porque Antonio Brunno escolheu o hospital do cancer para realizar seus trabalhos lúdicos.

7 – SÉTIMO GRANDE DESAFIO

( AQUI HÁ DESAFIOS EXTRAORDINÁRIOS:)

a) Adoecer de uma enfermidade implacável, e continuar a mesma pessoa dando a todos um exemplo de cristão, apesar da enfermidade.

b) Viver durante a enfermidade, aquilo que ensinou.

c) Continuar crescendo depois de receber um diagnóstico que estar com câncer e permanecer na mesma dinâmica e na mesma alegria.

d) Durante a enfermidade pregar pra os amigos de leito e ainda:

enfermo de uma doença cruel esquecer-se de si e viver a vida dos outros,

e) Durante a enfermidade, criar um grupo lúdico, criar possibilidades aos pais para que estes não sofressem por ele estar sofrendo,

f) Criar mecanismo para a vida continuar seu curso normal, ser para seus amigos de leito um ponto de equilíbril,

g) Entusiasmar os outros enfermos a terem consciência que o cancer é fichinha diante de Deus. Mostrar para todas as pessoas que a vida é pra ser vivida da forma que Deus determina,

h) Por último, criar uma casa de apoio para apoiar seus amiguinho e mestres.

Os desafios mais bonitos e mais santos, da vida do iluminado Antonio Brunno, sem dúvida foi:

a) Ser enfermo de uma doença implácavel e continuar feliz,

b) Foi durante sua enfermidade saber que em sua ala havia um acompanhante que não tinha o que comer, e ele passar a dar sua comida para a pessoa.

c) Pregar o Evangelho nos leitos

d) Se tornar uma pessoa especial a todos os amigos de enfermaria. Isso realmente foi fantático na vida do confrade Brunno”