4.0 – FATO EXTRAORDINÁRIO:

Durante a enfermidade, Antonio Brunno uniu todos os vicentinos de sua comunidade em torno de si, numa campanha jamais vista pelos vicentinos do Maranhão. Teve dos vicentinos de seu Conselho um apoio incondicional em todas as esferas inclusive financeira.

Ninguém jamais foi tão amado, tão respeitado tão bem cuidado como foi o iluminado Antonio Brunno. Os vicentinos de seu Conselho o amaram de verdade e Brunno jamais ficou só, jamais Brunno se sentiu só. Todas as conferencias jovens a adultas fizeram de Antonio Brunno uma pessoa muito especial, fizeram questão que ele se sentisse assim, especial a todos.

Visitas, orações, espiritualidades, missas… Uma grande movimentação em torno do jovem foi realizado. Sua casa sempre cheia ele não tinha como não se sentir especial, cheio do Espirito Santo e arrodeado dos promotores da paz, o iluminado Antonio Brunno passa a viver a vida dos especiais, dos separados, dos iluminados… dos santos. Santamente viveu nove meses de uma enferminado implacável sem gemer, sem reclamar e sem chorar. Viveu alí as demoras do Senhor, soube esperar e esperou sem sentir dor ( mesmo sofrendo a dor do câncer). Isso é viver a felicidade, isso é buscar a paz isso é usufruir daquilo que plantou… Esse foi ANTONO BUUNNO.

Não permitindo que o câncer fosse maior que a presença de Deus, viveu sem sentir dor , mesmo sofrendo a irreparável dor de uma doença implacável”. Entre a saudável presença de Cristo, e a dor insuportável de uma doença cruel, o iluminado Antonio Brunno não pensou duas vezes: Esqueceu-se que estava com câncer, e viveu a prensença constante de Jesus em sua linda e irradiante VIDA.