FUNDAMENTOS BÁSICOS DA CASA DE APOIO DA FAB

I – HÁ NA CASA A DISPOSIÇÃO DOS PACIENTES:
a) – Um veículo; para levar e trazer os paciente aos hospitais
b) – Enfermeiros
c) – Alimentação a vontade sem regras e horarios. Isso é bom,pois quem toma quio nem toda hora que comer, e as vezes quando dar vontade passou do horário…
d)- Redes e camas
e) – conforto espiritual – orações diariamente, bate – papo, brincadeiras entretendimento.
f) – Um bom ambiente
g) – Ajuda em todos os sentidos, inclusive financeira quando for o caso
h) – Ajuda psicológica
i) – Orientação geral.Fazer isso com paciência, amor e muito carinho
o) – O paciente é proíbido de agradecer a alguém por algo que lhe concedido na casa.

II – A CASA DEVE DISPOR AOS MORADORES
a) – Um grupo de aconselhamento
b) – Um grupo para orações, formadas por pessoas que saibam desenvolver e explorar bem o assunto e discurtir e pregar o evangelho.
c) – Sempre que possível a presença de um sacerdote

III- FOCO PRINCIPAL DA CASA
a) – Hospedar quem não tem pra onde ir
b) – Amar com amor terno e fraterno todos os hóspedes
c) – Fazer dos moradores (enfermos e acompanhantes), pessoas importantes, felizes e alegres
d) – Dar e usar sempre de muita alegria com todos
e) – Nunca deixar que os moradores se sintam constrangidos com nada
f) – Evitar sempre óbito na casa.
g)- – Criar um clima de harmonia e amizade entre todos
h) – Fazer-se irmão e irmão em Cristo
i) – Paz, paz, paz e paz. Esse é o foco. ( isso farei o possível para ter sempre, e se aqueles que estou pensando me ajudarem e acompanharem meu raciocínio, teremos uma casa cheia de paz e amor.)
O foco da casa deverá ser o melhor possível, pois se trata de ajudar logo e sempre. Não quero crescer ou fazer uma casa grande demais, quero aumentar sempre.Devemos começar com umas cinco ou dez pessoas, depois passamos para vinte ou trinta e depois siga o Deus determinar.
Devemos está sempre e a todo tempo, sobre orientações divinas (Deus), pois sem isso vejo impossivel qualquer trabalho seguir adiante.
NOTA:
O dispositivo ou os motivos que nos levam a criar esta ferramenta no combate a tristeza , dor e solidão, deverá ser a caridade e o amor a Deus, devemos ou (DEVO EU ) envolver o maior numero de pessoas possível neste projeto, ainda não sei quem, mas como temos grande e muitos amigos não deverá ser dificil e como o projeto é de Deus, logo todo mundo vai querer está nele. Conto primeiramente com minha coragem, alegria e disponibilodade, depois com vicentinos jovens e adultos e em seguida corremos em busca de patrocínio para nosso programa que sem dúvida será o máximo.
Como posso contar com papai, certamente ele tem os deles, e juntos faremos um grande trabalho que estará a disposição de todos que Cristo enviar a nós.

Apenas de uma coisa não podemos descuidar: Caridade, alegria, oração e amor aos pobres.
Nunca devemos nos esquecermos dos excluídos: Lembremos sempre dos sem apoio dos sem nada.
Devemos sempre ter uma vaga a aqueles que nada tem: Pode ser este o Cristo desfaçado de pobre
Devemos sempre buscar está a serviço do bem maior Jesus Cristo
Nunca devemos trabalhar em beneficio de nós mesmo: Quem precisa são nossos patrões, os pobres.
Jamais devemos criar barreiras à caridade, ao contrário, devemos abrir caminhos para que ela cresça e aconteça em nós e em nosso meio.

“ Com este projeto, seremos beneficiados, criaremos em nós uma estrutura humana, ou mais humana, desenvolveremos nosso potencial cristão e saberemos em fim celebar a paz que sepende muito da caridade, da alegria da oração e do amor aos pobres. Devemos sempre entender que os pobres são nossos mestres ( como diz SVP) e são com eles que devemos aprender. Somos ninguém sem Cristo, e Cristo está basicamente nos pobres, então com esta filosofia, devemos nos encontrar com os pobres para nos sentirmos a serviço de Jesus.

Sem caridade nada importa, e a mim, se não for por amor, nada quero nada me interessa. Os pobres são como um campo bom de se trabalhar, é como se fossem uma terra fértil, é como se fossem um projeto salutar é como se fossem uma vinha fecunda, agora pra isso, devemos ir a eles com as ferramentas de Deus: Caridade, disponibilidade, amor e docilidade.

Em nossa casa de apoio devemos sentir (VER) Deus, Deus deve está sempre e todos os dias e toda hora em nossa casa de apoio, devemos sentir-lo, tanto por meio de espiritualidade, quanto por meio dos resultados de nossos trabalhos ou em fim por meio dos próprios pacientes que se nos apresentarão como o próprio Cristo em nosso meio. Isso vai ser muito legar.

Acho que não vai ser fácil, mas se fosse não prestava. Como papai e mamãe me entendem e sabem que eu dou conta, tudo vai ser uma maravilha.