1.0 – PARTE DA HISTÓRIA DE UM SER ILUMINADO

Ter conhecido a história de alguém que se tornou uma célebre personalidade, é cultivar o conteúdo enriquecedor de sua própria história. Fazer parte destas histórias é ser contemplado com a graça de ter sido uma peça importante neste desenvolvimento histórico. Quando convivemos com os detentores destas histórias nos sentimos produtos da própria história.

Quando tudo isso se refere a uma pessoa que viveu uma vida voltada a santidade; aí é uma honra conhecer a história, é um prazer ajudar-la e é uma bênção fazer parte dela. Ainda mais quando ela nos leva a acreditar que o potador dela é um ser iluminado, é uma pessoa diferente, é um santo. Conhecer, ajudar, fazer parte da história de um santo, tem lá sua magia, sua felicidade e sua alegria. Sou feliz por ser eu, uma peça da história extraordinária de Antonio Brunno Pessoa Sousa, um ser extremamente iluminado. Uma pessoa que viveu na trilha da santidade.

UMA HISTÓRIA, SEIS PROJETOS E UM SER ILUMINADO

A história que tento narrar, em breve estará em livros, e aquele que tiver o privilégio em conhecer, terá lido a narrativa da história de um grande jovem que aos vinte e dois anos, acometido de um implacável Câncer, lança-se aos braços de Cristo numa entrega total de onde espera sua salvação tanto do corpo quanto da alma.

Curada a alma, Antonio Brunno prefere viver ao lado de Cristo servindo-o dia e noite como um anjo mensageiro seu, e nós que o conhecemos resta-nos buscar confiança em Deus, fé no Espirito Santo para acreditando pedir a intercessão deste gigante da superação, do amor, da alegria e da caridade, que ainda nos deixa seus carismas ( CARIDADE, ALEGRIA, ORAÇÃO E AMOR AOS POBRES ) para vivenciados, nos enriqueça daquilo que precisamos para uma vida simples e cheia do amor de Deus.

Antonio Brunno dos sete aos vinte e dois anos viveu na prática da caridade, traçando pra si e para os outros um caminho especial através de uma maneira de agradar a Deus, fonte de toda sua força esperança e fé. Diferente em quase tudo, promoveu o amor de todos, e como tudo a ele devia ser especial, cansou de ser católico de pequenas reuniões entre quatro paredes, por isso, lançou-se em águas mais profundas e partiu para a grandeza da vida, onde buscou fazer a alegria e contagiar as crianças oncológicas do hospital Aldenora Bello. Criando uma nova identidade e quase solitário, passou a trabalhar em seus fins de semana como palhaço o hospital do câncer..

O MUNDO NOS PREGA PEÇA

Na vida haveremos de lidar com as coisas que se nos acontece, e nos acontece coisas que jamais poderemos descifrá-las, e nós, fomos apanhados de surpresa por uma destas coisas que a vida nos apresenta. Após alguns bonitos anos de trabalhos em beneficios das crianças enfermas (câncer), nosso filho é acometido de um implacável CA.

(Deixou de trabalhar a alegria das pessoas com câncer para ser uma delas, sentindo o que elas sentiam e vivendo o que elas viviam. )

Consciente que era assim mesmo, e que as coisas estavam tudo muito certo, Antonio Brunno Viveu tudo isso como quem vivi momentos de alegria e felicidade; nunca chorou, nunca lamentou e nem questionou Deus, apenas viveu tudo da forma que tinha que viver, na alegria, no amor e na paz. Fiel, apenas dizia:

Está tudo certo, devo sofrer pacientemente e com grande alegria esperar as demoras do Senhor.(Antonio Brunno)

A partir daí ele passou a lutar por outro grupo de pessoas, uma vez que estava impossibilitado de ir aos hospitais infantis como palhaço; passou a trabalhar as pessoas (adultas) com CA e isso fez com firmeza de caráter, disciplina e exatidão. Todos os enfermos de sua enfermaria foram contagiados com sua alegria, suas orações e seu apoio, trabalhou profundamente o apoio espiritual e fez com que todos acreditassem em uma recuperação emanada de Deus. Mas como a vida vivi nos pregando peças, aconteceu que Antonio Brunno piorou de sua enfermidade, mas entre uma crise e outra ele estava sempre alimentando-se de esperança e fé, e isso era extensivo as outras pessoas. Alimentado de esperança, viu uma nova realidade: a extrema pobreza, nas pessoas que ele passou a proteger e a amar com amor terno e fraterno.

Pensando em como ajudar as pessoas vindas do interior sem terem pra onde ir, lutou para ajudar e ajudar logo pois ele achava e era certo, que elas não podiam esperar, precisavam de tratamento e entre uma quimio e outra elas não tinham onde ficar, daí nasceu ou , floriu a grandeza de um jovem ao levar algumas pessoas para sua casa, deixou de levar, porque nossa casa era pequena e não tínhamos como acomodar-las.

Preoculpado e inquieto com a situação, parece ter esquecido que estava com câncer. Trabalhou a possibilidade de alugar uma casa para abrigar as pessoas, todavia sua enfermidade avançava e nós família não podiamos comungar com ele. Naquela oportunidade, nossas preocupações estavam nele, e as dele estavam nos outros. E Deus foi tão presente na vida de Brunno, que não permitiu que ele percebesse que estava ficando fisicamente debilitado, assim, com a mesma proporção que a doença avançava, aumentava também seu entusiásmo, sua fé e sua esperança, e a cada dia seu projeto: casa de apoio a pessoas com Câncer, parecia mais real.

Entendo que não devemos perder tempo, pois se não viabilizarmos a ajuda hoje, amanhã pode ser tarde demais. Aí eu perco a oportunidade de fazer aquilo que eu tinha que fazer.”(Antonio Brunno) Falava assim porque via seus amigos falecerem um após o outro, então achava: devo agir, e agir logo. Pena que nesta época nós família não tínhamos nem condições financeira e nem emocional para ajudar nosso filho no cumprimento de seus desejos caritativos… Nossas preocupações estavam nele, enquanto que a dele estava nos outros.

Foi apartir deste período que entendemos perfeitamente que Antonio Brunno tinha um amor incondicional aos pobres, pois acometido de uma doença como o Câncer quiz ajudar e ajudar logo. Na dinamica do ajudar, sentimos claramente que ele estava preocupado em ser util logo, não porque ele estava doente, mas porque a doença não esperava, mesmo porque ele não se sentia doente, preferiu está a disposição dos outros, do que está doente, assim nunca adoeceu, e com saúde, (Espiritualment) preferiu está a serviço do Senhor.

Nos trabalhos ao Senhor, esqueço de mim enquanto não deixo de lembrar daqueles que precisam de uma atenção, de amor, carinho, uma voz e um abraço, tudo que tenho em abundância,”(Antonio Brunno).

UM GRANDE PROJETO

Enfermo de uma enfermidade cruel e implacável, Antonio Brunno idealizou um projeto fabuloso; como sua enfermidade estava cada dia mais avançada, e nós pais preocupados, buscávamos respostas a perguntas que ninguém sabia responder, enquanto isso Brunno parecia sadio, desenvolvia seu projeto para colocar em prática quando ficasse curado. Escreveu em seu computador tudo e tudo como ele queria que funcionasse, como por exemplo:

Algumas Normas e regras da Casa de Apoio João Paulo II.

1 -Uma casa de apoio a pessoas com câncer

2- Uma casa onde se pudesse sentir a presença de Deus

3- Tudo gratis aos pacientes

4- Os pacientes deveriam ser tratados com respeito dignidade e muito amor.

5- Para se beneficiar com a casa o paciente deveria ser do interior e sem condições alguma de alojamento na capital

6 – Que seus pacientes fossem “ especialmente” os excluidos, os pobres e indefesos

7- A casa disporia de um carro para levar e trazer os pacientes aos hospitais.

8 – Os pacientes idosos e Crianças devem ser tratados com muitas atenção e amor. Não podem ir aos hospitais a quimioterapia de onibus. A casa seria responsável por esta locomoção.

9 – Os pacientes devem ser ajudados até mesmo com crédito em celular ( se for o caso)

10 -Na casa deverá haver reuniões de orações diariamente a todos, primeiro aos enfermos que puderem está nas reuniões, depois a todos os acompanhantes.

11 – Não deverá ser cobrado dos pacientes, nenhum tipo de taxa ou rateio de despesas. Os dirigentes deverão buscar meios para supri as despesas da casa.

12 – Deve a casa, cuidar dos pacientes como se eles fossem um verdadeiro tesouro. A existencia da casa de apoio deve-se aos pacientes. No entanto todos devem comungar e entener as normas e disciplinas. Para que a casa se torne um ambiente saudável, sério e bom de se viver, for preciso tirar alguém, lamentavelmente não podemos por em risco por nuinguém um projeto que é de Deus.

( Escritos de Brunno encontrado em seu computador.)

Tudo isso nos deixou felizes, pois passamos a viver a partir de nosso filho, aquilo que não podemos negar: atitudes caritativas e santas a serviço do bem maior: Cristo que vivi na pessoa do pobre que nos chama atenção com suas fragilidades e enfermidades.”

Com o agravamento da enfermidade de Antonio Brunno, fomos para São Paulo, lá enquanto nós nos preoculpávamos com ele, ele escrevia as normas de sua casa de apoio. De São Paulo fomos a Barretos, lá, mais debiltado, quiz conhecer algumas casas de apoio para ampliar seu projeto.

Não esquecendo-se das crianças enfermas, Antono Brunno ampliou o projeto de palhaços, quando convidou ( listou) o nome de dez amigos para lhe ajudar na nova tarefa, criou então o PDA Proj. Donnos da Alegria, ( talvez seu maior sonho), tudo para ser colocado em prática quando voltasse de São Paulo com saúde.

MAIS UMA PEÇA A NÓS FOI PREGADA

Acontece que nosso heroi, não resistiu a grandeza e a beleza do céu, e quando, ainda daqui da terra contemplou o céu, preferiu ficar lá, deixando-nos em 28.03.011, e a nós, família e amigos, deixou-nos como herança eterna um grande legado, um projeto fabuloso e muito bom de se trabalhar. “ Seu amor aos pobres, seu projeto, sua superação e sua confiança em Deus, foi-nos deixado como seu maior e melhor espólio”, com este espólio, nós família voltamos a lutar pela vida e passamos a ter vontade de viver a partir dele, o que pra nós era extramente difícil.

Um mês após seu falecimento, colocamos em prática o programa PDA, e um ano depois, em homenagem a ele criamos a FUNDAÇÃO ANTONIO BRUNNO, que dispensa qualquer comentário, basta lê os relatórios anual de atividade.

Hoje depois de muita luta, saudade e dor, comungamos com nosso filho em tudo, e pra nós família tem sido uma graça trabalhar um projeto idealizado por quem nós amamos e nos ensinou a amar.

A FAB tem sido a nós uma válvula de escape, ou uma nova chance de vida. Crescendo como cresceu, recebemos ajuda de milhares de pessoas, e repassamos a história a muitas novas ferramentas que desenvolveram suas atitudes a partir de nosso projeto. Hoje somos uma casa onde abriga o amor, hospedamos Cristo e ele faz parte de nossa família (os pobres), sentimos a alegria de Brunno e tudo deu muito certo, como ele sempre dizia após suas crises:

CALMA, VAI DAR TUDO CERTO

De fato, deu tudo certo… Meu filho um anjo acolhido por Deus, seu projeto acolhendo Cristo que chora nos pobre e nós famílias vivendo um período de santidade amor e paz. De fato, deu tudo certo… Apenas a falta física de Brunno que nos deixa na solidão, gemendo e chorando até os dias de hoje, pra nós enquanto carne… isso não foi o certo, o certo era a cura física. No entando: DEUS NO COMANDO SEMPRE.

Hoje me resta apenas dizer em oração:

Filho meu, querido de minha alma, bálsamos de meu espirito, força de meus dias, obrigado filho por tudo, por tudo que você disse escreveu e projetou, obrigado pela luz, obrigado pela esperança, e muito obrigado por você nos ter feito tão felizes.Obrigado pelo grande carinho, obrigado pelo amor dedicado a mim durante vinte e dois anos, obrigado pela alegria e pelo bem estar que você sempre me proporcionou. Filho querido, bálsamo de minha alma, papai te ama e te ama muito… Jamais te esquecerei…Obrigado por você nos ter dado tantas provas de que o amor de Cristo nos alimenta e nos salva. Obrigado por você ter sido quem foi.

Querido meu, você me fez ver Cristo, quando nos deixou seu projeto, você nos ensinou a ter coragem quando não teve medo, você nos mostrou a alegria quando na dor sorria, você nos fez superar todas as nossas dificuldades, quanto tudo estava muito dificil você dizia que tudo estava dando certo. Assim filho, tenho certeza que você está com Deus, de onde intercederá por nós.

Te amamos sempre… Espere por mim,quando Deus me chamar quero está com você para juntos contemplarmos a gloria de Deus. Espere-me meu filho… Sua bênção meu QUERIDO. Sua bênção meun filho.

Esta é parte da história, de um ser iluminado, que com muito amor venceu a dor do câncer.

O livro: O DONNO DA ALEGRIA, está para ser lançado, precisamos de patrocínio para que esta história ajude a muitos a superar com alegria a dor de uma doença terrível, e ainda:

Levar a muitos a compreenção de que só o amor constrói, que só unidos podemos ser muito mais, e que só em Deus teremos a PAZ.

Ajude-nos, e você verá que quando ajudamos, quando nos damos as mãos, a justiça, o amor e a paz se abraçarão, e tudo isso será realizado a partir de VOCÊ, que conhece a força que brota do amor.

( Antonio Lima Sousa, um pai apaixonado por um filho que apaixona)

Mais informações:

Adriana de Fátima -88268854 \ 8856-74-71

São Luis, 21 de Dezembro 2012